São Bernardo do Campo, SP
(11) 2381-4363

ACESSORIA E TREINAMENTOS EM SEGURANÇA DO TRABALHO

ACESSORIA E TREINAMENTOS EM SEGURANÇA DO TRABALHO

Oposto a que muitas pessoas ainda acreditam, acidente e doenças relacionados ao trabalho não é obra do acaso e nem falta de sorte, talvez este seja um dos nossos maiores desafios, estas questões envolvem conceitos culturais, religiosas, perfil e características de cada indivíduo. Com esta situação, devemos trabalhar com informações estatísticas e demostrar através de exemplos a importância de investir em segurança do trabalho para convencer os responsáveis das empresas a investir neste serviços e aceitar as orientações e sugestões para implantação de um sistema de gerenciamento de riscos da saúde do trabalhador que vá além da mera montagem de documentos legais como PPRA, PGR, PPP, PCMAT.

Motivo para investir em segurança para os trabalhadores

A decisão de investir em melhorias para reduzir o número de acidentes e de doenças do trabalho certamente não é tarefa fácil, para isso devemos provar que vale muito a pena investir em segurança para os trabalhadores, além de proteger os mesmos, caso não se invista a empresa pode perder grandes quantias em dinheiro. Podemos demostra para a empresa os problemas que ela via se expor caso não invista em segurança do trabalho:

1. Multas pela falta de segurança

Quando a empresa tem um alto índice de acidentes ou doenças do trabalho acaba tendo maior número de visitas das fiscalizações e com mais fiscalizações acabará pagando mais multas. Para o empresário ter uma noção de quanto isto pode custar, precisamos levantar todos os itens das Normas Regulamentadoras que podem vir a se tornar uma multa para a empresa decorrente de acidentes e doenças, utilizando a NR 28 que estabelece às multas.

2. Aumento do FAP

De acordo com a Lei 8212/91, as empresas que tem maior índice de acidentes pagam mais para o INSS, no caso da empresa ter excelência em Saúde e Segurança do Trabalho, poderá passar a pagar menos, porém para as empresas totalmente negligentes com o trabalhador os valores são maiores.

3. Ações regressivas do INSS

O INSS desde 1991, com base no artigo 120 da Lei 8213/91 pode e vem realizado várias ações regressivas contra empresas que não seguem a legislação de SST e como consequência acabam trazendo prejuízo para os cofres previdenciários.

Sendo assim, acontecendo acidente ou doença que tenha ocorrido por uma falha da empresa ou a mesma não tenha SST, o INSS irá fazer os pagamentos previstos ao trabalhador, mas poderá solicitar à empresa o ressarcimento destes gastos por esta não ter seguido a legislação que evitaria a ocorrência do evento.

4. Processos judiciais

A empresa e seus responsáveis devem entender que se não investir na segurança dos seus trabalhadores uma consequência frequente é o elevado número de processos judiciais em que muitas vezes serão obrigados a pagar adicionais previstos na NR 15. Além dos custos do processo, em parte dos processos trabalhistas teremos a necessidade de uma perícia judicial, cujo custo acaba ficando com a empresa caso ela perca a causa.

5. Absenteísmo

O absenteísmo está relacionado às faltas dos trabalhadores e caso tenhamos postos de trabalho gerando acidentes ou doenças teremos uma maior incidência de faltas pois os trabalhadores afetados ficaram impossibilitados de trabalhar. Como consequência das faltas, a empresa terá problemas para conseguir manter a sua produção ou terá que contratar mais funcionários elevando os custos de mão de obra.

6. Comprometimento da imagem da empresa

Empresa que tenha alta frequência e gravidade dos acidentes acaba perdendo profissionais, tanto para novas contratações, como os que são funcionários ativos que ficarão desmotivados para trabalhar. Além disso pode perder também atuais ou futuros clientes.

Certamente em uma fiscalização, por mais isento que seja o auditor fiscal, este pode vir a ser influenciado pelas notícias e mesmo de forma inconsciente realizar seu trabalho de forma mais rígida, afinal caso tenha prevenção a probabilidade de acidentes é menor.